Angeloose vai do synthwave ao synthsamba em “Bordeaux-Carmin”

Duo paulistano Angeloose apresenta o EP de estreia “Bordeaux-Carmin”

Uma das maiores alegrias enquanto jornalista cultura é a oportunidade de conhecer o trabalho de novos artistas antes mesmo deles lançarem seu primeiro EP. Este é o caso do duo paulistano composto por Delliri e Viktor, Angeloose. A proposta da sonoridade do novo projeto é eletrônica mas se engana quem pensa que para por aí.

O indie alternativo eletrônico do Boards of Canada e as estranhezas do Radiohead vão de encontro, segundo os próprios integrantes, de Chico Buarque e Djavan, trazendo possibilidades sonoras capazes de abraçar o synth-pop, o samba e a MPB. Tudo isso com um apelo R&B nos vocais, interessante, não é mesmo?

A princípio ao ler a descrição do som a combinação não é das mais fáceis de assimilar mas ao ouvir e observar a construção das canções, acaba ficando algo mais palpável. A base eletrônica com efeito nas vozes criam texturas e camadas que levam o som do duo em direção ao pop. As composições falam sobre o lado sombrio do ser humano, entre as frustrações, a solidão, a fraqueza e o limbo entre tudo isso.

Angeloose lança seu EP de estreia “Bordeaux-Carmin” – Foto: Divulgação

Angeloose Bordeaux-Carmin

O duo relata que este primeiro trabalho a ser revelado é fruto do amadurecimento musical, e intelectual, dos últimos anos e já adianta que tem um disco em fase de produção. Eles até descrevem o som de maneira bastante calcada no universo dos sintetizadores: do synthpop ao synthwave ao synthsamba.

A faixa que abre o Bordeaux-Carmin, “Relapsos” vai agradar aos fãs de Washed Out pela linha minimalista, já os vocais groovados de Delliri nos remetem aos curitibanos da Tuyo. Deslizando na própria órbita e com abrindo caminho para se perder nos próprios anseios, “Gigante” é meio cáustica e lo-fi feito o som do Chromatics.

“Tu” é um dos destaques deste primeiro lançamento justamente por sua imersão e experimentação, tem toda uma levada de vinheta para abertura de programa de televisão – e quem viu Portlandia sabe o que estou dizendo. Uma boa faixa para abrir os shows, possivelmente.

“Correria” vai buscar no drum & bass a base de percussão em uma letra sobre as pequenas batalhas diárias, entre vitórias e derrotas, felicidades e frustrações. É uma ode a correria e a persistência de viver cada dia independente de qualquer barreira que ouse cruzar pelo caminho.

Trazendo a brasilidade para o primeiro plano “Sambinha” condensa o que eles apelidaram de Synthsamba, misturando os sintetizadores aos batuques eletrônicos para discorrer os futuros possíveis de quem luta por seu lugar ao sol. Quem fecha é “Pólvora” que versa sobre a intensidade das relações e a combustão que tudo isso envolve. A linha tênue entre a perdição e o conforto do abrigo.

Agora é esperar pelos próximos passos da Angeloose.

O post Angeloose vai do synthwave ao synthsamba em “Bordeaux-Carmin” apareceu primeiro em Hits Perdidos.

Duo paulistano Angeloose apresenta o EP de estreia “Bordeaux-Carmin” Uma das maiores alegrias enquanto jornalista cultura é a oportunidade de conhecer o trabalho de novos artistas antes mesmo deles lançarem seu primeiro EP. Este é o caso do duo paulistano composto por Delliri e Viktor, Angeloose. A proposta da sonoridade do novo projeto é eletrônica
O post Angeloose vai do synthwave ao synthsamba em “Bordeaux-Carmin” apareceu primeiro em Hits Perdidos.